O procedimento durou três horas e mobilizou mais de quinze pessoas.
Fonte Raabe Andrade

Há uma semana, no dia 12 de novembro, o Hospital Veterinário do Centro Universitário Luterano de Palmas – Ceulp/Ulbra, foi palco de um feito inédito no Tocantins: a primeira cirurgia de cólica em equino. Professores e alunos do curso de Medicina Veterinária do Ceulp, se dedicaram ao trabalho, que durou mais de três horas, entre a preparação e a cirurgia propriamente dita. Essa operação é um procedimento de alto risco, que exige muito preparo profissional e um grau substancial de tecnologia em equipamentos e materiais.

Cólica Equina

Esta doença é bastante comum entre os equinos. É uma disfunção do sistema digestivo, que ocorre por vários fatores relacionados principalmente à alimentação do animal. A aluna de Medicina Veterinária do Ceulp/Ulbra, Luciene De Marchi,explica mais sobre isso: “Essa doença é secundária a algum outro problema que o animal tenha. Uma ração, a qualidade da alimentação, o sistema de estabulação, o tamanho dos alimentos, que dá algum problema na dentição ou a qualidade do feno. Por exemplo, agora no período de seca é difícil, porque a gente não tem pastagens verdes, então o processo de fenação permite que se tenha um banco de alimento para os animais nessa época. Mas é preciso estar atento a qualidade desse feno”.

O problema todo está no fato de que quando temos um alimento de difícil digestão, ele se deposita no intestino do animal e fica compactado, gerando intensa dor. “O alimento não digere por causa da qualidade da fibra, que vai se acumulando e é isso o que causa a cólica. A cirurgia consiste justamente em descompactar, tirar esse material do intestino, para que o organismo do animal volte a funcionar como deveria. Ela é um procedimento de emergência, porque a cólica leva a alterações fisiológicas sérias no animal, que pode vir a óbito”, explica a acadêmica. Além disso, a evolução do quadro infeccioso é muito rápida, por isso a doença deve ser tratada com urgência e quando avança, se torna necessária a intervenção cirúrgica.

A primeira cirurgia no Tocantins

Por se tratar de uma operação emergencial, com tantos riscos envolvidos e principalmente, pelo porte físico dos equinos, a cirurgia nunca havia sido realizada no estado. Até então, o Tocantins não tinha uma estrutura veterinária que comportasse um procedimento desse tamanho e o destino de grande parte dos animais acometidos de cólica aqui, era a morte.

O professor do Centro Universitário, Guilherme Motta, foi quem conduziu a operação e afirma: “Este é um procedimento de alta complexidade, que exige a execução de anestesia geral inalatória e uma estrutura bem aparelhada. A gente precisa ter um centro cirúrgico, encanamento de gases, aparelho de anestesia e rigor de assepsia na instalações e materiais. A mesa operatória que a gente necessita para realizar esse procedimento também é especial. Então é um procedimento caro, que exige um alto grau de tecnificação para ter sucesso. E no estado do Tocantins só o Hospital Veterinário do Ceulp/Ulbra tem”. Ao todo, a cirurgia durou cerca de três horas e envolveu mais de quinze pessoas.

O paciente

Apesar de todos os esforços da equipe, o garanhão quarto de milha não resistiu. “Ele já era um paciente que tinha indicação de eutanásia, por conta dos achados clínicos e laboratoriais que tornavam seu prognóstico desfavorável; mesmo assim o proprietário decidiu tentar. O animal suportou a indução anestésica, suportou a manutenção, mas a recuperação dele foi muito ruim. Ele levou três horas e quarenta minutos para se levantar e às 4h da manhã, morreu”, relata o professor.

Ainda assim, do ponto de vista médico e principalmente tendo em vista seu pioneirismo, a cirurgia foi um sucesso. Era esperado que o cavalo não resistisse sequer à anestesia inalatória, mas ele foi muito além. Para a aluna quase formada, Luciene De Marchi, a experiência foi única: “A gente prefere que o animal não precise ser submetido a uma cirurgia, mas já que foi necessário e a faculdade possibilitou aos alunos acompanhar o procedimento, é enriquecedor e inovador! Há uma certa curiosidade por parte dos alunos, porque a cólica equina é algo muito frequente nesses animais. Então a cirurgia é algo que pode não ser feito com frequência, mas é necessária, por acometer tantos animais”.

Hoje, o Hospital Veterinário do Ceulp/Ulbra tem a estrutura mais completa em tratamento médico animal do Tocantins. Com exceção dos laboratórios, que funcionam em horário comercial, todos os demais setores do Hospital atendem 24 horas por dia. Para mais informações, ligue 3219-8026.

Foto: Ceulp/Ulbra.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario