Sistema permite registrar todo os eventos do processo, com a geração de relatórios que subsidiarão planejamento e atividades de prevenção.
Fonte Valdenice Rodrigues/Governo do Tocantins

A Corregedoria-Geral de Pessoal (CGP), unidade administrativa da Controladoria-Geral do Estado (CGE), está informatizando os seus procedimentos, o que ocorre por meio do Sistema de Acompanhamento de Processos (SAP). Na última quarta-feira, 7, técnicos da Agência de Tecnologia da informação (ATI) apresentaram à equipe da Corregedoria as funcionalidades do sistema.

Apresentação do sistema reuniu equipes da ATI e CGE.

O SAP foi criado em 2017, mas atualmente estava inativo. Com a transferência da Corregedoria para a Controladoria o órgão decidiu adotar o sistema, a fim de dinamizar e aperfeiçoar o trâmite processual. “Isso é fundamental numa ação tão importante quanto a de correição”, observa a corregedora-geral de Pessoal, Simone Brito.

De acordo com a Gerente de Integração e Implantação de Sistemas da ATI, Ana Dolores Lima Dias, que apresentou o sistema, o SAP nasceu da necessidade da demanda de informatizar o acompanhamento dos processos referentes à correição de pessoal no Estado. “O objetivo é receber desde a denúncia e se esta se tornar um processo conseguiremos trabalhar todo o seu ciclo de vida com o registro de todos os seus eventos”, explicou.

Equipe da ATI apresentou o sistema no auditório da CGE.

O acesso ao sistema ocorre somente por meio de login e senha, o que mantém a integridade dos dados. Também permite organizar de forma estratégica as informações, por meio de um painel, o que permitirá à equipe analisar e dinamizar a sua atuação.

O próximo passo será a disponibilidade do sistema também para os interessados nos processos em tramitação, como advogados e servidores.

 

Planejamento e prevenção

Para a Corregedora, a ferramenta de uso contínuo vai possibilitar identificar quais ações representam maiores problemas no desenvolvimento dos processos. Além disso, será possível a geração de relatórios de quais são as principais fontes de denúncia, quais os tipos de infrações disciplinares mais recorrentes e quais os órgãos com o maior número de registros. “Isso vai possibilitar também que a Corregedoria possa realizar o seu planejamento como também as atividades de prevenção”, completa Simone.

Também participou da apresentação do Sistema na CGE, o Analista de Negócios da ATI, Dalvino David Rodrigo de Souza Nery.

Fotos: Valdenice Rodrigues/Governo do Tocantins.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario