Realizado pelo Governo do Estado, evento vai debater tecnologias e a adoção de práticas conservacionistas.
Fonte Luíza Caetano/Governo do Tocantins

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) apresenta o Projeto Campo Sustentável no Seminário Estadual de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC), que acontece na próxima quarta e quinta-feira, 21 e 22 de novembro respectivamente. O evento é realizado pelo Governo do Tocantins, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Apicultura (Seagro), e tem a proposta de debater como as tecnologias e a adoção de práticas conservacionistas contribuem para o aumento da produtividade com sustentabilidade.

O Projeto Campo Sustentável, coordenado pela Semarh em parceria com o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), tem o objetivo de demonstrar aos produtores rurais os resultados econômicos através da implantação de Sistemas de Integração Lavoura Pecuária e Floresta (ILPF) com modelos produtivos distintos. Além disso, o projeto tem a finalidade de restaurar e aumentar a produtividade em áreas que foram degradadas diversificando a renda, visando reduzir o desmatamento causado pela pecuária.

A coordenadora do Campo Sustentável, Thaiana Brunes, destaca a importância do evento para promover o projeto. “O convite da Seagro veio por meio desse projeto e vimos que seria uma ótima oportunidade para nossa promoção. Esse evento é do Plano ABC e o Projeto Campo Sustentável é um dos seus sete eixos, casando bem os objetivos em comum”, ressalta.

Serão ministradas 16 palestras voltadas para estudantes de ciências agrárias e ambientais, técnicos e produtores rurais. Os participantes receberão certificado pelo e-mail cadastrado no formulário. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas na internet através do endereço: https://forms.gle/cNUdwNtDJYXiYC2n8.

A programação poderá ser consultada clicando neste link.

Plano ABC

O Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC) é um dos planos setoriais elaborados de acordo com o art. 3° do Decreto 7.390/2010 e tem por finalidade a organização e o planejamento das ações a serem realizadas para a adoção das tecnologias de produção sustentáveis, selecionadas com o objetivo de responder aos compromissos de redução de emissão de GEE no setor agropecuário assumidos pelo país.

No Plano ABC estão previstas diversas ações como capacitação de técnicos e produtores, transferência de tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, regularização fundiária e ambiental e linhas de crédito para fomento à produção sustentável.

A abrangência do Plano ABC é nacional e seu período de vigência é de 2010 a 2020, sendo previstas revisões e atualizações em períodos regulares não superiores há dois anos, para readequá-lo às demandas da sociedade, às novas tecnologias e incorporar novas ações e metas, caso se faça necessário.

O Plano é composto por sete programas, seis deles referentes às tecnologias de mitigação, e ainda um último programa com ações de adaptação às mudanças climáticas:

  • Programa 1: Recuperação de Pastagens Degradadas;
  • Programa 2: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) e Sistemas Agroflorestais (SAFs);
  • Programa 3: Sistema Plantio Direto (SPD);
  • Programa 4: Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN);
  • Programa 5: Florestas Plantadas;
  • Programa 6: Tratamento de Dejetos Animais;
  • Programa 7: Adaptação às Mudanças Climáticas.

Foto: Fernando Alves.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario